Byung-Chul Han faz uma observação interessante sobre a sociedade digital

«Hoje a percepção não é capaz do silogismo, porque faz incessantemente zapping através de uma rede digital infinita. O que totalmente a dispersa. Só uma demora contemplativa é capaz do silogismo. O fechar os olhos é um símbolo do silogismo. A transformação acelerada de imagens e de informação torna impossível que se fechem os olhos, torna impossível o silogismo. Se todo o racional é um silogismo, então a era do Big Data é uma época sem razão

Byung-Chul Han

Anúncios

Cidadãos não são jornalistas

A Imagem:

20799563_10213430141173253_6887631817732475320_n

O meu Comentário:
Inicialmente partilhei esta imagem no Facebook por concordar com ela. Mas mudei de opinião!
As pessoas (Cidadãos) não têm o dever de procurar ouvir os dois (ou mais) lados da notícia para alcançarem a verdade. Isso é dever dos jornalistas.

As pessoas (no Facebook e fora do Facebook) são todos os dias “bombardeadas” com notícias sensacionalistas e opinião disfarçada de informação. Para além disso têm sites e blogues com notícias falsas, desactualizadas e ainda sítios de anedotas disfarçadas de notícias.

Por isso as pessoas (Cidadãos) devem cultivar o sentido critico e a literacia da informação.

Mas não podem sem obrigados a desfazer-se de repente das suas  crenças e a ser “objectivos”. Esse é o papel dos jornalistas!

Tornar o homem num objecto: processo em curso

man-367

«O corpo masculino é hoje celebrado como objecto de interesse sexual, desportivo ou lúdico. O ideal popular passou a valorizar o porte atlético considerando-o verdadeiro atributo do homem. Os modelos são sempre jovens, bonitos, perfeitos. A televisão mostra permanentemente imagens de gente bonita e magra, eles musculados e confiantes, dançando com mulheres igualmente bonitas, magras e sexy.

Apesar de existirem homens que não perseguem activamente os novos padrões corporais masculinos, muitos idealizam-nos e consideram-nos um objectivo social e cultural a atingir a todo o custo. Facilitando esse objectivo, há uma verdadeira explosão de produtos que pretendem melhora a apresentação do corpo masculino: aparelhos mecânicos de treino, suplementos dietéticos, injecções anabolisantes, massagens, cremes cutâneos, programas de treinos, monitorização fisiológica em tempo real.
Há uma preocupação masculina, intensa e permanente, em manter um bom aspecto físico. Não é uma preocupação com a saúde, é antes uma pura preocupação com a imagem.
Um estudo que realizei e publiquei há alguns anos, com uma amostra de 498 jovens adultos portugueses entre os 18 e os 25 anos, mostrou que o principal foco de desagrado dos jovens é a barriga, imediatamente seguido do nariz. O terceiro foco são os genitais. Quase metade dos homens afirmou-se insatisfeita com a estatura, quase todos desejando ser mais altos. Afirmaram-se insatisfeitos com o seu peso um pouco mais de metade dos inquiridos. Porque eram gordos? Não. Sessenta por cento desse grupo queria ter mais peso. Ou seja, mais músculo.
A auto-estima e o modo como cada um se julga a si próprio, quase exclusivamente através da aparência, desenvolve a exigência de um ideal, que muitas vezes pode levar a uma exagerada avaliação de si mesmo, tornando-se extremamente crítico com qualquer mínima imperfeição ou anormalidade. Felizmente, a maioria dos homens tem uma imagem realística, por vezes conformada, de si próprios. Apenas uma pequena percentagem dos homens tem verdadeiros problemas com a sua imagem corporal. (…)»
Nuno Monteiro Pereira

Nota: Artigo publicado na revista Sauda+, em 03-07-2017.

Leituras complementares:
Como é o corpo perfeito de um homem segundo as mulheres?
Crise econômica levou ao surgimento do ‘spornsexual’
Lumbersexual, Spornsexual são tipo Metrossexual