Neoliberalismo, o caminho sombrio para o fascismo

«O neoliberalismo como teoria económica sempre foi um absurdo. Tinha tanta validade quanto as ideologias dominantes do passado, como o direito divino dos reis e a crença fascista no Übermensch . Nenhuma das suas alardeadas promessas era remotamente possível. Ao concentrar a riqueza nas mãos de uma elite oligárquica global – oito famílias detêm hoje …

Anúncios

Leituras: O testemunho de José Cardoso Pires

Podemos dizer que da mesma maneira que Aquilino Ribeiro foi testemunha do regicídio, José Cardoso Pires (1925-1998) foi testemunha da repressão do Estado Novo. E isso é especialmente visível nestes dois livros. E Agora, José? Este livro reúne ensaios de José Cardoso Pires sobre vários temas, sobretudo literatura, arte e politica. O título é inspirado …

Em defesa de um populismo

«Em 1990, o historiador Eric Hobsbawm assinalava: “o capitalismo e os ricos deixaram, até ver, de estar amedrontados”. Tinha sido em parte o medo do socialismo a alimentar a reforma social e democrática do capitalismo a seguir à Segunda Guerra Mundial. Sem este medo, o capitalismo, de novo sem freios e contrapesos sistémicos, tenderia para …

Neoliberalismo para totós

«Tendo como pano de fundo as eleições legislativas britânicas, a The Economist sintetizou assim a história recente da economia política do país: “Nos últimos quarenta anos, o Reino Unido foi dominado pelo neoliberalismo, um credo que procurou adaptar algumas das posições do liberalismo clássico do século XIX a um mundo onde o papel do Estado tinha aumentado”. …

Leituras: Um relatório sobre analfabetismo funcional já antigo

Este é um relatório sobre a situação do analfabetismo funcional em vários países da OCDE. Trata-se de um estudo realizado por Lauren Benton e Thierry Noyelle, do Eisenhower Center of Conservation of Human Resources, da Universidade de Columbia (Nova Iorque, Estados Unidos). De acordo com os autores do relatório, o ponto de viragem aconteceu na …

Leituras: Horror Económico!

Livro editado em França em 1996, continua tão actual como se tivesse sido escrito ontem. Para nos recordar a sua actualidade... ou porque deve lê-lo: - O trabalho não tem futuro - Não perca o seu emprego para um robot - "O que vamos fazer quando milhões de pessoas ficarem sem emprego?"

Grandes Traidores da História de Portugal (1)

Recordando a aprovação do Tratado de Maastricht... «A maior parte dos homens que ali se encontravam serviria, pelo menos, a quatro governos; e teriam vendido a França ou o género humano para garantir a sua fortuna, para não sofrerem um mal-estar, uma dificuldade, ou ate por simples baixeza, por adoração institiva da forca. Todos declararam …