Feminismo Quotidiano: Dia da Mulher é apenas dia de vender?

Como nasceu o Dia da Mulher… «Se fosse possível fazer uma linha do tempo dos primeiros "dias das mulheres" que surgiram no mundo, ela começaria possivelmente com a grande passeata das mulheres em 26 de fevereiro de 1909, em Nova York. Naquele dia, cerca de 15 mil mulheres marcharam nas ruas da cidade por melhores …

Anúncios

Os Linques da Semana 24 de Novembro

Nasce assim uma rubrica de periodicidade irregular neste blogue... Sobre Bibliotecas: O programa da SIC Contas-Poupança lembrou-se das bibliotecas como sítio onde é possível poupar... Bem lembrado!! Vale a pena ler: A utopia das bibliotecas ideais. Sobre a Leitura e a Literatura: Ler. essa coisa simples e complicada A literatura está em declínio? Nazismo: os portugueses …

Conhecer Óbidos em tempos de austeridade (Novembro 2017)

Pode parecer estranho dizer isto, mas os nossos ordenados não aumentaram, o descongelamento de carreiras é uma miragem. Por isso os orçamentos são cada vez mais limitados para quem quer ser turista no seu próprio país. Eu, por outro lado, há muito que sonhava conhecer melhor Óbidos. Uma coisa é passar num local, outra é …

Byung-Chul Han explica a alienação de hoje

«O poder de estabilização do sistema não é repressivo mas sedutor O poder de estabilização da sociedade industrial e disciplinar era repressivo. Os operários eram brutalmente explorados pelos proprietários, o que originava actos de protesto e de resistência. Nesse momento, foi possível que uma revolução derrubasse as relações de produção existentes. Nesse sistema de repressão …

Leituras: Por menos lixo!

Bea Johnson dá conselhos a partir da sua experiência que é procurar fazer o mínimo de lixo possível, até chegar ao desperdício zero (um ideal que ela quer alcançar mas que neste momento é impossível). A autora consegue trazer sofisticação e glamour a algo considerado pouco sofisticado: ter preocupações ecológicas e dar um destino feliz …

Consumo consciente (Dezembro 2016)

Consumo consciente é uma causa infinita (porque NADA me ajuda a tornar-me consumidora consciente) e uma causa que não interessa a ninguém... ou não tenho razão? Para saber mais... Consumo consciente na InfoEscola.