Democracia-à-moda-da-UE ou jornalismo-à-moda-dos-mais-ricos?!

Uma pergunta: Porque o debate Rio vs Costa teve mais tempo que os outros?

O factor “aprovado pela UE” contou como critério? Isso não é nada democrático.

Ou será a força do TINA (There Is No Alternative = Não Há Alternativa = NHA)?

(Depois não fiquem extremamente escandalizados com a abstenção, senhores jornalistas e comentadores deste país).

«ou seja, ficamos a saber que em Portugal há eleições para primeiro-ministro e que só há dois candidatos — ninguém diria que o dr. ACosta era um reputado jurista

e parece que também o princípio de igualdade de tratamento foi mandado às urtigas — pelos órgão de comunicação social.»

Luis Graça (1)

«Resumo do que importa reter do grande derby Costa-Rio.

Maior novidade: as próximas eleições serão ganhas ou pelo PS ou pelo PSD.

Maior mistério: António Costa ainda não decidiu se irá votar PAN.

Maior elástico: Rio irá baixar impostos “se for possível”. Ele depois dirá se é possível ou se não é.

Melhores notícias para quem vive de um salário: os salários vão aumentar à bruta, ou com a legislação laboral que a troika cá deixou para que não aumentem, pela mão do mesmo Costa que se recusa terminantemente a revogá-la, ou com a magia da redução do IRC, pelas mãos de Rio e de Midas. Aumentarão de certeza. É o que conta.

Melhor notícia para quem paga IRS: com Rio a liderar o Governo, para garantir o equilíbrio orçamental, as receitas de IRS terão que aumentar para compensar o alívio fiscal em IRC às empresas. Quem paga IRS será ainda mais sobrecarregado para libertar as empresas do papão Estado.

Principal descoberta para a ciência económica, contributo de Rui Rio para o mundo: o salário médio é inimigo do salário mínimo. É o salário mínimo que impede o salário médio de aumentar, o grande sacana.

Maiores novidades para os utentes do SNS: Costa nega haver problema algum no SNS. Não há motivos para alterar as políticas de sucesso de não contratação e de não aquisição de equipamentos que actualmente garantem que 41% do Orçamento da Saúde sejam aquisições de bens e serviços à Saúde privada. Rio diz que o problema existe e que se resolve facilmente privatizando o SNS e decretando que deixe de ser universal para os que podem pagar. A classe média que paga os impostos que o financiam deve deixar de beneficiar da sua gratuitidade e começar a pagar uma segunda vez para ter Saúde. Saúde gratuita só para os mais pobrezinhos isentos do IRS que financia o SNS.

Melhores notícias para os funcionários públicos: Rio diz que há funcionários públicos a mais e que não pode ser. É provável que Costa esteja de acordo, não rebateu a atoarda e esta semana garantiu que consigo no Governo as regras orçamentais irão ser cumpridas em 2023 e que a dívida pública se reduzirá dos actuais cerca de 130% do PIB para 110% em 2026, pelo que actualizações salariais só lá mais para daqui a 4 anos, se der. Estabilidade dos congelamentos salariais, portanto.

Melhor notícia para quem assistiu ao debate: não ser obrigatório votar PS ou PSD. A nossa democracia oferece outras opções.E foi mais ou menos isto. O meu coração encheu-se de esperança num futuro melhor para todos.

PS. Entrego a espinhosa missão da atribuição da vitória no derby aos especialistas. Os meus parcos conhecimentos futebolísticos não alcançam o grau de complexidade exigível para arriscar uma conclusão tão importante para o país e para os portugueses.»

Filipe Tourais (2)

(1) No Facebook em 13/01/2022.

(2) No Facebook em 14/01/2022.

Uma resposta para “Democracia-à-moda-da-UE ou jornalismo-à-moda-dos-mais-ricos?!”

Os comentários estão fechados.

%d blogueiros gostam disto: