Desafio: Carta para Mim

Carta para a Fátima com 15 Anos

33e9aefe10e10a4c71bfe53445e6a4c8f7304014r1-461-319v2_uhq

Tenho 42 anos e escrevo-te do futuro. Estou um pouco relutante em fazê-lo porque nunca a vais ler. Alias, todos os conselhos que te der são para a Fátima de 42 anos, porque a de 15 nunca teria sequer um blogue.
Lembro-me de mim (de ti) com 15 anos: das paixões pelos rapazes não correspondidas e da sensação de desadequação. Estou aqui a escrever-te 27 anos depois e essas sensações mantêm-se, mas agora estão temperadas por muitas experiências que não me apetece contar-te.

Só me apetece falar-te do ano 2019, ano em que decidi tomar a decisão mais difícil de todas: deixar de viver com os meus pais. Desde então descobri que:
– A liberdade não é só ir onde queremos quando queremos, é também poder chorar quando precisamos. É também poder dizer o que pensamos.
– A felicidade encontra-se nas pequenas coisas. Como fazer comida.
– Quem tem amigos é rico.
– Encontrar a nossa essência não é fácil. Nós somos complexos e multifacetados. Encontrar o nosso caminho não é fácil.
Somos o resultado de:
a) Das oportunidades que damos a nós mesmos (factores internos);
b) Das oportunidades que nos dão (factores externos).
– Se eu mudar tudo muda…
Basta uma pessoa mudar para tudo mudar!
A caminhada ainda agora se iniciou, por isso espero descobrir mais coisas no futuro.

NOTA: «O que dirias se tivesses de dar conselhos a alguém que, na verdade, és tu? O que recomendarias ao teu “eu” de 5, 10 ou 15 anos? Falar-lhe-ias dos teus erros? Dizias-lhe que vai tudo ficar bem? Preparavas-te para o pior?» foi o desafio da Carolina Nelas.