Leituras: Panorâmica de Jane Austen!

transferir

Começo pelo óbvio: leiam Jane Austen que vale a pena!

Comecei a ler Jane Austen (1775-1817) e só depois de muitos livros consegui parar. Cada livro confirmava o anterior e ao mesmo tempo trazia um aspecto novo.

Jane Austen – e as interpretações da sua vida e obra – moldaram a mentalidade do mundo dito “Ocidental”. Só por isso já vale a pena ser lida. Se acrescentar-mos um humor bem irónico e outras características, torna-se importante lê-la.

Em vez das tradicionais resenhas, deixo os principais eixos dos seus livros: em vez de uma visão particular obra a obra, um panorama geral.

ccedf8d58e2ff097b9fbb9ae0c4364d5

– Situação económica e social das personagens…

Se as personagens são ricos, se são pobres, de quem dependem. Nas obras de Jane Austen há pouco tempo para descrever fisicamente as personagens e muito tempo a descrever como vivem e com quem.

Por exemplo William Collins, clérico e primo dos Bennet em Orgulho e Preconceito depende da Lady Catherine de Bourgh para ter uma paróquia. Edward Ferrars é salvo da pobreza total pelo Coronel Brandon, que o indica para uma paróquia, em Sensibilidade e Bom Senso.

– As relações familiares e de afecto…

Independentemente de serem ricos ou pobres, os sentimentos dentro da família, entre vizinhos e mesmo entre desconhecidos são muito valorizados por Jane Austen.

Veja-se, por exemplo, a amizade entre irmãs: Elinor e Marianne Dashwood em Sensibilidade e Bom Senso e Jane e Elizabeth Bennet em Orgulho e Preconceito.

Mas nem sempre os sentimentos entre as pessoas são positivos: por exemplo, Fanny Price não se dá muito bem com a mãe biológica, em Mansfield Park. Ou a inimizade entre Mr. Darcy e George Wickham em Orgulho e Preconceito.

– O amadurecimento…

Nos livros de Jane Austen há sempre alguém que se torna mais sensato ou que muda de opinião para melhor. Veja-se Marianne Dashwood em Sensibilidade e Bom Senso.

– A celebração da Inglaterra rural e mítica!

Quase todos os livros se passam na Inglaterra rural.

Destaque para Mansfield Park, onde os valores de elegância, propriedade, regularidade, harmonia são especialmente celebrados.

Emma consagra a ideia conservadora de cada um casar dentro de uma hierarquia pré-estabelecida: ricos com ricos, pobres com pobres, letrados com letrados, etc.

O amor romântico na obra de Jane Austen, com o seu herói que no final casa sempre com a heroína, influenciou a ideia de as mulheres precisam de homens para se sentirem completas.

– A presença da religião em Jane Austen…

Existe pelo menos um clérico em todos os seus livros! Mas estes homens têm tantos defeitos como os restantes e – por vezes – até têm mais! Quando lemos Jane Austen percebemos a crise que a Igreja Anglicana estava a passar em finais do século XVIII e inícios do século XIX.

– Uma perspectiva feminista do mundo…

Jane Austen era uma pessoa conservadora, comparável às irmãs Bronte. Ironicamente foi da sua pena – e da das irmãs Bronte – que nasceram os primeiros romances em que as mulheres tinham o maior protagonismo.

Jane Austen era uma feminista no sentido de que ela acreditava que as mulheres eram igualmente dotadas de razão e bom senso como homens, e o casamento ideal deveria ser entre duas pessoas que se amam.

No livro Emma a ideia romântica de “mulher certa” e do “homem certo” é levada ao limite. Isso leva a que escolher um parceiro para casar seja um trabalho difícil, não um prazer.

– Jane Austen tem humor!

E ironia. Jane Austen satirizou os romances que falavam de sentimentos e os romances góticos.

Concluindo,

  1. Podemos ver Jane Austen como um génio do feminismo e do anti-feminismo. Ela é musa inspiradora das ideologias mais progressistas e mais conservadoras.
  2. Da mesma maneira que Uma Abelha na Chuva, de Carlos de Oliveira, dava naturalmente uma boa telenovela, os livros de Jane Austen deram naturalmente bons filmes de Hollywood. Ambos – os livros de Jane Austen e os filmes de Hollywood – nasceram uns para os outros.
  3. Os meus livros favoritos de Jane Austen são: Sensibilidade e Bom Senso e A Abadia de Northanger (também conhecida como O Mosteiro de Northanger).

Para Saber Mais:

Jane Austen em Portugal (blogue de fãs de Jane Austen)

Jane Austen, uma estrela de rock literária 200 anos após sua morte

10 lições que Jane Austen nos ensinou
A Miúda Geek – Historiquices de Julho
Jane Austen in Hollywood (livro no Google Books)
Mansfield Park – Jane Austen por Mariana Flores

Última Actualização: 03/05/2018

Anúncios