Leituras: Judith Moore, miúda gorda!

«Um escritor é pelo menos duas pessoas. É o prosador à secretária e uma espécie de camareiro que o serve e que trata de viver a sua vida.»
Victor Sawdon Pritchett
img_210418881_1361187377_abigJudith Moore (1946-2006) foi uma jornalista e escritora norte-americana. Escreveu sobretudo ensaios para jornais e revistas e fez entrevistas.
Este livro conta a sua história de vida, de acordo com o The New York Times. Conta como é a sua relação com a comida: oh gula! E conta sobretudo a sua infância infeliz, com pouco afecto. Conta como ganhar muitos quilos emocionais.
A narradora-autora descreve-se como não sendo uma mulher de afecto fácil. Diz, por exemplo:
«Os autores que escrevem sobre estas conversas da treta na primeira pessoa saúdam muitas vezes o leitor à entrada com abraços calorosos e beijos complacentes. Eu não. Não me farei querida. Não porei ares.
Não sou assim tão agradável. Vou-me tornando cada vez menos agradável com a idade. Desconfio das histórias da vida real que terminam num tom triunfal… Construí quatro paredes de gordura e vivi lá dentro. »
O certo é que apesar de tanta frieza, o seu livro emociona e faz pensar. Às vezes parece um ensaio, outras uma obra de ficção: porque está mesmo muito bem escrito!

 

Leitura de: Judith Moore, Fat girl (Lisboa, Quetzal, 2006)

Anúncios