Leituras: Rainer Maria Rilke e Virginia Woolf reflectem sobre a escrita da poesia, a vida e tudo o mais

Cartas-a-Jovens-Poetas

Depois de responder ao desafio da Catarina Duarte ou CD do blogue Insensatez, fiquei com vontade de ler o livro citado por ela: Cartas a um jovem poeta de Rainer Maria Rilke. Tive a sorte de encontrar na biblioteca uma edição espectacular deste livro, que contém também um texto de Virginia Woolf com o mesmo título.

Um cheirinho das biografias

Rainer_Maria_Rilke,_1900Rainer Maria Rilke (1875-1936) nasceu em Praga, que fazia Império Austro-Húngaro e morreu na Suiça. Escreveu poemas em francês mas a sua língua foi sobretudo o alemão. Virginia Woolf (1882-1941) sempre viveu no Reino Unido e escreveu em inglês.

Rainer Maria Rilke era um plebeu que sonhava viver no mundo da aristocracia. Virginia Woolf nasceu em berço de ouro mas sonhava ser uma pessoa anónima.

Rainer Maria Rilke era um simples poeta existencialista. Virginia Woolf era uma escritora modernista que tinha uma empresa editorial, juntamente com o seu marido Leonard Woolf (1880-1969): a Hogarth Press (fundada em 1917 e que agora faz parte do grupo Random House).

Virginia_Woolf_1927Rainer Maria Rilke e Virginia Woolf eram duas pessoas diferentes mas que viveram no mesmo período: fim do século XIX e início do século XX. O que é que essas duas pessoas teriam em comum?

 

O livro

Rainer Maria Rilke e Virginia Woolf escreveram cartas a jovens poetas mas os conselhos são opostos: Rainer Maria Rilke aconselha ao seu correspondente que olhe mais para dentro de si, Virginia Woolf que olhe mais para além do seu umbigo antes de escrever.

Ambos no entanto acabam por dar o mesmo conselho: escrever muito antes de publicar e não ter pressa em publicar. Virginia Woolf aconselha mesmo que se experimente todos os caminhos na escrita antes de se encontrar o nosso e depois sim, publicar-se.

O que lemos de Rainer Maria Rilke neste livro são cartas íntimas, que ele nunca pensou ver publicadas. Quem as publicou, depois da sua morte, foi o destinatário. Não é de admirar por isso que se encontrem aqui conselhos de como viver a vida. Achei engraçado por isso que o tom usado por Rainer Maria Rilke ser muito semelhante aos livros de auto-ajuda (que começaram a ser publicados no século XIX).

A Carta a um jovem poeta de Virginia Woolf foi publicada numa revista, não enviada pelo correio. Mas tanto ela como Rainer Maria Rilke começam a falar sobre poesia e acabam a falar da vida e da morte.

Como se pode ver, estes dois escritores têm muito em comum. Vale a pena ler esta edição!

 

Ver também:

A sabedoria de Rainer Maria Rilke

A sabedoria de Virginia Woolf

Tenho de escrever? A minha resposta!

Anúncios