A sabedoria de Virginia Woolf

«O que precisa agora é ficar à janela e deixar que o seu sentido rítmico pulse, pulse, audaciosa e livremente, até que os táxis dancem com os narcisos, até que tudo se forme a partir desses fragmentos separados. (…) Depois, deixe que o seu sentido rítmico circule livremente entre homens e mulheres, autocarros, espargos (tudo o que andar na rua) até conseguir reuni-los num todo harmonioso. Essa é, talvez, a sua tarefa – encontrar a relação entre as coisas que parecem incompatíveis, mas que, no entanto, têm uma afinidade misteriosa.»
Virginia Woolf

Anúncios