À atenção dos europeístas

«Há dias disse aqui o seguinte: camuflada pela retórica da defesa do euro a qualquer preço, de facto a intenção do governo alemão é fazer sair pelo seu pé, um a um, os países da zona euro economicamente mais frágeis.

O facto é que os dirigentes políticos gregos ainda não perceberam que a Alemanha apenas quer que saiam. Por isso, temerosos do que lhes pode acontecer se deixarem o euro, lá aprovaram in extremis mais um pacote de austeridade. Não perceberam que a genuína vontade do governo alemão é outra, a de que desistam. Por isso, sem qualquer embaraço, o governo alemão vai ter de ser mais explícito. Começou ontem pela voz do ministro das finanças (notícia completa aqui):

“Quando se esperava que os ministros das Finanças da zona euro dessem segunda-feira luz verde ao pagamento da tranche de 31,5 mil milhões, Wolfgang Schäuble veio dizer ontem que, apesar da aprovação do pacote de austeridade no parlamento grego, os fundos podem continuar congelados mais tempo do que o esperado. (…)
Este aviso de Schäuble pode significar, em última análise, que a Alemanha não acredita mais no governo de Atenas e que se prepara para iniciar o processo de afastamento da Grécia do euro. O timing escolhido pelo ministro das Finanças alemão não tem nada de inocente e vai de encontro a vários rumores que corriam há já algum tempo nos corredores de Bruxelas. A saída da Grécia do euro só poderia acontecer depois das eleições presidenciais americanas, de acordo com um pacto firmado entre Obama e Merkel.”»

Jorge Batedeira (09/11/2012) (1)

(1) Blogue Ladrões de Bicicletas.

Anúncios