Coisas Giras de Portugal em 2012 (50)

«Armando Pinto e Jorge Rodrigues foram inibidos de trabalhar em instituições financeiras por cinco anos. Mas gerem ativos da nacionalização do BPN ao serviço do Ministério das Finanças.

A gerir os veículos para onde transitaram os ativos do BPN estão dois ex-responsáveis do banco, agora condenados pelo Banco de Portugal por prestação de informação falsa e falsificação de contas, noticia o semanário Expresso.

Três anos após a acusação do Banco de Portugal no caso BPN, só no dia 22 de junho os arguidos começaram a ser notificados das respetivas condenações. Dos 23 acusados, 7 foram condenados ao pagamento de coimas e inibidos de exercer cargos em instituições financeiras. Dois são diretores da Parvalorem, um dos veículos criados pelo Estado para acomodar ativos que saíram da órbita do BPN quando este foi colocado à venda. O Expresso tentou contactá-los, em vão.

O Ministério das Finanças diz que a nomeação dos novos administradores dos veículos do Estado está para breve mas não se pronuncia quanto aos diretores em causa.»

Diário de Notícias (30/06/2010)

«Profissionais colocados nos centros de saúde de Lisboa e Vale do Tejo por empresas vão receber perto de 555 euros por mês, avança o Diário de Notícias.

Segundo o jornal, os enfermeiros que entrarem ao serviço a partir de hoje nos centros de saúde de Lisboa e Vale do Tejo, contratados através das empresas de prestação de serviços que venceram o último concurso lançado pela Administração Regional de Saúde, vão receber quatro euros por hora, quando recebiam seis até aqui.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) diz que depois dos descontos, os profissionais não ficam com mais de 300 euros/mês. A MedicSearch, uma das vencedoras, argumenta que o Estado só querer saber dos preços mais baixos e obriga a descidas.»

Jornal de Negócios (02/07/2012)

Anúncios

Os comentários estão desativados.