SMS do Dia


«No meio da viagem da nossa vida

Dei por mim no meio de florestas escuras

Onde o caminho direito se perde.»

Dante Alighieri

Fonte da Imagem: My Story to You.

Anúncios

Coisas Giras de Portugal em 2012 (19)

«O Governo de Passos Coelho manteve o ritmo de nomeações entre o final do ano passado e o início de 2012. No final de Novembro de 2011, o Executivo tinha nomeado uma média de 3,7 pessoas por dia desde a tomada de posse. Em Fevereiro, a média mantém um ritmo muito semelhante: 3,5 pessoas por dia.

(…) No caso dos gabinetes ministeriais, o salário médio, calculado a partir dos dados de cerca de 600 pessoas, ronda os 2.300 euros mensais brutos.

A média dos ordenados é puxada para baixo pelo facto de se contar com os salários dos motoristas dos vários gabinetes e também das secretárias, que ganham todas o ordenado padrão de 1.882 euros mensais.

No caso dos adjuntos, assessores e chefes de gabinetes, que são mais de metade, os ordenados ultrapassam os 3.000 euros, incluindo despesas de representação.

O chefe do gabinete do primeiro-ministro ganha 4.592 euros, incluindo despesas de representação. A chefe do gabinete do ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, surge nomeada com um vencimento de 5.821 euros por mês.

Na Estrutura de Acompanhamento dos Memorandos (ESAME), pertencente à Secretaria de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, há um especialista que aufere 5.775 euros mensais. É aliás na ESAME onde existem vencimentos mais altos. Os dez especialistas que compõem esta equipa recebem, em média, 4.200 euros por mês.

(…) O primeiro-ministro garantiu em Janeiro que “nunca um Governo fez tão poucas nomeações”, embora não seja possível confirmar a informação por falta de dados.

O Governo lançou o site para publicar as nomeações, em nome da “transparência”, em Julho de 2011. O portal já mudou de formato uma vez e deixou de publicar informação que antes fornecia. É o caso das tabelas comparativas com o anterior Governo de José Sócrates.

Em Novembro, o portal mostrava que alguns ministérios tinham reduzido consideravelmente o número de funcionários e consequentemente poupado nos salários desses mesmos funcionários.

Era o caso dos ministérios da Defesa, Administração Interna, Assuntos Parlamentares, Economia, Agricultura, Saúde, Educação, Cultura e, também, na Secretaria de Estado do Adjunto do Primeiro-Ministro, onde o portal informava que se reduziram 274 postos de trabalho.

Agora, em Fevereiro, essa informação já não consta do portal, pelo que não é possível actualizar esses dados.»

Matilde Torres Pereira (29/02/2012) (1)

Comentarium: A este ritmo, Duarte Marques terá as suas orações atendidas.

(1) Rádio Renascença.