Coisas Giras de Portugal em 2012 (14)

«António José Seguro quis ter ontem uma palavra a dizer sobre a aparente tensão entre Cavaco Silva e São Bento por causa das recentes medidas de austeridade e das visões diferentes sobre o modelo social. O líder do PS alertou que este “não é o momento” para “desavenças” entre a Presidência da República e o Governo, declaração que surge depois de a imprensa ter noticiado durante o fim-de-semana que Cavaco não vê com bons olhos a política ‘ultraliberal” do ministro das Finanças e o Estado mínimo de Passos Coelho. O jornal Público avançava mesmo que alguns cavaquistas defendem a saída de Vítor Gaspar.

Apesar de nos últimos meses Seguro ter por várias vezes invocado os recados de Cavaco para reforçar a sua oposição ao cortes nos subsídios e o seu apelo a favor de uma política de crescimento económico – o que lhe valeu críticas de colagem a Belém dentro do próprio partido -, o líder socialista optou ontem por uma mensagem conciliatória. “Este não é o momento para termos desavenças entre os principais órgãos de soberania, em particular entre a Presidência da República e o Governo”, disse o líder socialista aos jornalistas depois do encerramento do encontro de autarcas socialistas, em Ourique.

Seguro quis deixar claro que este é o momento de “concentrarmos todos os esforços” com o objectivo de “resolver” a actual crise. Mas não deixou de mandar uma farpa ao Governo, a quem acusou de estar “de braços caídos” e de estar “a matar os sonhos dos portugueses”. Porque, disse, é “um Governo que só aplica o programa da ‘troika”.»

Inês David Bastos (30/01/2012) (1)

(1) Com Lusa, no Diário Económico.

Fonte da Imagem: O Secretário Chocado.

Anúncios