Sobre o Dia Mundial da Criança (de 2012)


A Conferência Mundial para o Bem-Estar da Criança em Genebra, Suíça proclamou o dia 1 de Junho como o Dia Internacional da Criança, em 1925. Não está claro por que razão este dia foi escolhido. Diz-se que o cônsul-geral chinês em San Francisco (Estados Unidos), reuniu um grande número de órfãos chineses para comemorar o Festival de Barcos Dragão, em 1925, que aconteceu ser a 1 de Junho. Por coincidência, realizava-se a conferência. O 1 de Junho foi comemorado primeiramente nos países do bloco soviético.

Em Portugal só começou a ser comemorado a partir de 1950. Foi dada a explicação que se comemorava nessa data porque se seguia ao mês de Maio, mês de Maria, mãe de Jesus: uma explicação típica do Estado Novo.

Normalmente este dia é marcado em todos os países por palestras sobre os direitos das crianças, o aparecimento de crianças em quase todos os programas de televisão, acções de sensibilização de vários partidos e organizações sem fins lucrativos, famílias a jantar fora, acções de marketing, etc. Ultimamente também é usado para fazer actividades pedagógicas e pseudo-pedagógicas com crianças e oferecimento de prendas.

Em Portugal pouca gente sabe que também existe o Dia Mundial da Criança, dia 20 de Novembro. Foi proclamado pela Assembleia Geral da ONU em 1954. Foi criado para incentivar todos os países a instituir um dia da Criança, para promover o intercâmbio e a compreensão mútuos entre as crianças e para promover acções pelo bem-estar das crianças do mundo. O Dia Mundial da Criança é precedido pelo Dia Internacional do Homem, a 19 de Novembro. A ideia é criar uma festa 48 horas para homens e crianças, respectivamente, durante os quais os homens que desempenham papéis positivos na vida das crianças são reconhecidos. Desconheço se algum país pôs em prática a ideia. Provavelmente sim. Esta data foi comemorada pela primeira vez em Outubro de 1953, sob o patrocínio da União Internacional para a Infância, em Genebra. A ideia de um Dia Universal da Criança foi adoptada pela Assembleia Geral da ONU em 1954. 20 de Novembro também a data da aprovação da Declaração dos Direitos da Criança em 1959. A Convenção sobre os Direitos da Criança foi assinada no mesmo dia, em 1989, e já foi ratificada por 191 Estados.

Em Portugal, o 1 de Junho de 2011 ficou marcado pela criação de um fórum sobre direitos das crianças, composto por cerca de 20 instituições sem fins lucrativos nacionais, entre elas AMI, a Amnistia Internacional, a Cruz Vermelha, a UNICEF Portugal, o Instituto Português da Juventude e a Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR).

Dando o meu contributo tardio para este tema, deixo aqui algumas sugestões de discussões e acções de sensibilização, no âmbito dos direitos da criança, para o próximo ano:

– Encontrar formas de educação básica gratuita e de terminar com o facilitismo na educação (o eduquês) sem voltar ao autoritarismo do Estado Novo.

– Protecção contra a pobreza das crianças e todas as formas de exploração.

– Propostas para que os pais e mães se tornem mais presentes na vida das suas crianças, substituindo os presentes por tempo de qualidade e quantidade. E para que as mulheres não se sintam tão pressionadas a escolher entre serem mães e terem uma carreira.

– Propostas para que as crianças possam crescer num clima de Paz e Fraternidade universais.

Leituras Complementares:

Children’s Day

Este país não é para crianças

Declaração dos Direitos da Criança

A Convenção sobre os Direitos da Criança

Fonte da Imagem: Sol.

Última Actualização: 05/04/2011

Anúncios