Portugal, negócio da China

«O presidente do AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo, Basílio Horta, admitiu ontem que a compra da dívida pública portuguesa dá à China poder político e económico sobre Portugal. “Temos por um lado a rentabilidade e, por outro lado, a influência económica e política. Mas não é só com Portugal, é igual com os outros países da Europa”, disse Basílio Horta à margem de uma reunião empresarial Portugal-China.

Para o presidente do AICEP, a intenção da China em investir na compra de dívida pública portuguesa é “positiva”, uma vez que transmite “a confiança da China na economia” portuguesa.

“A China não faz maus negócios”, sublinhou o responsável, reforçando a importância de valorizar a imagem de Portugal enquanto um país onde é seguro comprar este tipo de activos.

“A China é o país do mundo com mais reserva de moeda, é natural e normal que queira investir uma parte das suas reservas no exterior, neste caso em Portugal”, acrescentou.

Numa semana em que os juros da dívida pública portuguesa negociaram em máximos históricos, chegando aos 6,607%, o Governo chinês anunciou estar a ponderar a compra de dívida pública portuguesa. “A situação económica e financeira em Portugal tem sido sempre o centro das nossas atenções”, disse a vice-ministra Fu Ying, ao ser questionada pela agência Lusa em Pequim sobre a possibilidade de a China adquirir parte da dívida portuguesa.

Sobre este assunto, o ministro da Economia, Vieira da Silva, considerou que o benefício da China em comprar dívida é o activo em si mesmo, lembrando que a necessidade da China em aplicar o excedente monetário é “uma realidade facilmente compreensível” para o país. “Para Portugal, a existência de instituições e países que têm interesse em diversificar a sua carteira com títulos ou benefícios relativamente à nossa dívida é um factor positivo”, concluiu.»

Diário de Notícias

Comentarium: Já chegámos até aqui?! Isto é um sintoma do completo falhanço de Portugal como país e da União Europeia como projecto político.

Fonte da Imagem: MSN Notícias.

Anúncios