Notas sobre as Eleições Norte-americanas (2007-2008) – Primeira Parte

1.

«Enquanto na Europa não passa um dia sem sermos informados do que se passa na América do Norte, nos Estados Unidos mal se dá pelo estrangeiro, e há quem ainda o queira ignorar mais»

Vicente Verdú

Foi sobretudo por esta contestação que decidi não acompanhar o histerismo global. Achei completamente ridículo quem passou, nos blogues, meses em campanha por qualquer dos candidatos, como se os portugueses fossem às urnas! Também o fiz por outras razões:

– Para mim são mais importantes as eleições portuguesas que norte-americanas: estão mais próximas, os seus efeitos são mais presentes.

– Porque quem ia votar era os norte-americanos e não os portugueses (e não os europeus, e não o resto do mundo). Da mesma forma que não gostarei se os norte-americanos se imiscuírem na vida interna de determinado país para dizer em quem a sua população deve votar, não eram os europeus (ou os portugueses) que tinham esse direito em relação aos norte-americanos. Agora, que os norte-americanos escolheram, emito aqui as minhas opiniões.

2.

usa081

Há que recordar que este processo que culminou na eleição de Barak Obama começou à cerca de quase dois anos. Os Estados Unidos têm vários partidos políticos, mas na altura das eleições apenas contam dois: Partido Republicano e Partido Republicano. Ambos nomeiam os seus candidatos através de eleições em convenções nacionais em vários estados da união. Assim, foram candidatos nas Primárias:

Pelo Partido Republicano:

· Rudolph Giuliani (Advogado e antigo mayor de Nova Iorque depois do 11 de Setembro de 2001 foi candidato Partido Republicano. Desistiu a 30 de Janeiro deste ano)

· Mike Huckabee (Antigo governador do estado do Arkansas e comentador do Fox News Channel. É ministro da Igreja Baptista do Sul. Abandonou a eleição a 4 de Março)

· Fred Thompson (Antigo actor, lobista e senador. Desistiu a 22 de Janeiro).

· Mitt Romney (Dono de uma firma private equity e antigo governador do estado de Massachusetts. Foi também CEO dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002. É contra o aborto, totalmente a favor da posse de armas e da imigração. Desistiu a 4 de Janeiro).

· Ron Paul (Eleito para o Congresso pelo Texas, é médico e escritor. É um conservador adepto da politica do isolacionismo. Foi contra a invasão do Iraque mas favorável à do Afeganistão. É totalmente contrário ao aborto).

· Duncan Hunter (É representante dos republicanos na Câmara dos Representantes desde 1982, pelo 52º Distrito da Califórnia. Desistiu a 7 de Janeiro).

· John McCain (Aviador naval, combateu na guerra do Vietname. Foi eleito senador pelo Arizona em 1986, 1992, 1998 e 2004. Embora comungue de grande parte das ideias dos neoconservadores norte-americanos, é considerado um rebelde dentro do partido)

Pelo Partido Democrata:

· Hillary Clinton (Advogada, casada com o antigo presidente William “Bill” Clinton. Faz parte do Senado dos Estados Unidos, representando os democratas por Nova Iorque. Foi eleita em 2000 e depois reeleita em 2006. Fez uma campanha longa e foi apanhada em mentiras acerca da sua pobre vida de primeira-dama. Só desistiu em 3 de Junho).

· John Edwards (Advogado e antigo senador democrata no Senado dos Estados Unidos, pela Carolina do Norte. Foi candidato a vice-presidente em 2004, nomeado por John Kerry. Depois da derrota, dedicou-se ao Comité Uma América (um comité de acção politica) e consultor do Fortress Investment Group, que trabalha com private equity, fundos de investimento, investimentos imobiliários, entre outros. O furacão Katrina e a situação de Nova Orleães deram-lhe visibilidade. A sua campanha foi “uma no cravo outra na ferradura”: embora não concordando com muitas politicas seguidas por George W. Bush não conseguiu sugerir nada de relevante).

· Joseph “Joe” Biden (Antigo advogado. Foi eleito para o Senado dos Estados Unidos em 1972, 1978, 1984, 1990, 1996, 2002 e 2008. Foi membro do Comité do Senado para as Relações Internacionais. Advogou a intervenção norte-americana na guerra da Bósnia e no Iraque. É católico. Desistiu em 3 de Janeiro. Em 22 de Agosto foi anunciado candidato à vice-presidência).

· Christopher Dodd (Advogado e politico. É senador no Senado dos Estados Unidos desde 1981, pelo Connecticut. Foi contra a invasão do Iraque. Veio a publico que a sua campanha tinha sido financiada maioritariamente pela industria financeira, que ele favorecera no senado. Desistiu a 3 de Janeiro).

· Maurice “Mike” Gravel (Graduou-se na Universidade da Colômbia e é construtor civil. É um advogado da democracia directa e da National Initiative for Democracy. Tem ligações ao Partido Liberal, embora tenha concorrido às primarias do Partido Democrata. Em Maio de 2008 anunciou o seu abandono da politica).

· Dennis Kucinich (Membro da Casa dos Representantes dos Estados Unidos, representando o Partido Democrata pelo Ohio. Faz parte do Subcomité para a Politica Interna. Durante a campanha defendeu a criação de um sistema de saúde universal gratuito, a retirada do Iraque, a abolição da pena de morte, o fim do Patriot Act, o fim das off-shores, a promoção dos direitos dos trabalhadores, entre outras ideias indigestas para muitos norte-americanos. Desistiu a 24 de Janeiro, depois de ter sido “desconvidado” para um debate na MSNBC no dia 15 desse mês).

· William “Bill” Richardson (É governador do Novo México. Já foi embaixador nas Nações Unidas e Secretário da Energia. Desistiu a 10 de Janeiro).

  • Barack Obama (Advogado e antigo senador no Senado de Illinois. Também foi professor de direito na Universidade de Chicago. Foi eleito para o Senado Norte-americano em 2003. Como senador, aprovou o Secure America and Orderly Immigration Act (também conhecida como “lei McCain-Kennedy”) de 2005. Aprovou a construção do muro entre o México e os Estados Unidos como forma de deter a emigração ilegal; aprovou ainda resoluções para reduzir o armamento nuclear dos Estados Unidos. Também desenvolveu legislação para que o Efeito de Estufa fosse controlado).

Fonte da Imagem: The Liberal Politological Institut

Fim da 1ª Parte

Anúncios