Nomear “Blogues do Ano 2017” é um prazer

Aproveitando a inutilidade de um concurso de “blogues do ano”, criado como resposta a outro concurso de “blogues do ano” (no qual se consagram todos os anos bloggers profissionais com uma equipa e muitos recursos por detrás) fica aqui esta lista que talvez possa ser de utilidade para alguém.

Foi um prazer fazê-la!!

Actualidade Política: Ladrões de Bicicletas

Arte e Artes Visuais (arquitectura, pintura, etc.; não discriminadas noutra categoria): Design e Outros Desvarios

Bibliotecas: Bibliotecas são Comunidades

Ciência: De Rerum Natura

Cinema e Televisão: Cinematograficamente Falando e Cambada de Criticos

Comunicação e Media (inclui marketing, jornalismo e publicidade): Blog Van

Culinária e Gastronomia: Miss Chia

Desporto: SportALL

Diários de Bordo (e diários íntimos e pessoais): Estrelices

Dinheiros e Poupar: Descontos

Escolares e Jornais de Escolas: 4 L e Biblioteca Escolar Dr. António Ferraz

Ensino: Escola Portuguesa

Filosofia: Filosofia no Ensino Secundário

Fotografia e Fotoblogs pessoais: Pedro Nogueira Photography

História: Almanaque Republicano e Monumentos Desaparecidos

Literatura (blogue como local de escrita): Ficções Breves

Livros (e análise literária amadora): O Livro Pensamento e Estante de Livros

Livros (blogues de críticos literários profissionais): Porta-Livros

Locais e Regionais: Alvitrando e Descobrir Leiria

Minimalismo: Ter Menos Ser Mais

Moda e Beleza: Sketchbook Six

Museus: Musing on Culture

Música: Gonn 1000

Protecção da Natureza e Animais: Dias com Árvores

Psicologia: Comer com Amor

Religião e Espiritualidade: Religionline

Saúde: Dicas de Farmaceutica

Tecnologia: TechScene & Lifestyle

frogprince

Anúncios

Sinais de alerta de fascismo de acordo com Umberto Eco

Sinais fascismo Umberto Eco
Comentarium: Considero o culto das tradições e raízes algo bom, desde que se não apele ao ódio ao que é diferente dessas tradições e raízes.

Quanto ao resto concordo com Umberto Eco, embora note que qualquer política ou partido vencedor de eleições terá sempre a vontade de se ver como a “voz do povo”.

Hoje lembrei-me de Gilles Lipovetsky

«Anunciou-se precipitadamente o fim da sociedade de consumo quando é claro que o processo de personalização não para de lhe alargar as fronteiras. A recessão presente, a crise energética, a consciência ecológica não são o toque de finados da sociedade de consumo: estamos destinados a consumir, ainda que de outro modo, cada vez mais objectos e informações, desportos e viagens, formação e relações, música e cuidados médicos. É isso a sociedade pós-moderna: não o para além do consumo, mas sua apoteose, a sua extensão à esfera privada, à imagem e ao devir do ego chamado a conhecer a obsolescência acelerada, da mobilidade, da desestabilização. Consumo da sua própria existência através dos media desmultiplicados, dos tempos livres, das técnicas relacionais, o processo de personalização gera o vazio em technicolor, a flutuação existencial na e pela abundância de modelos, mesmo que condimentados de convivialidade, de ecologismo, de psicologismo. Estamos na segunda fase da sociedade de consumo, cool e já não hot, consumo que digeriu a crítica da opulência.»

Gilles Lipovetsky

Catalunha

mapa-catalunha
Por mim, por mais que se leia que a nação é uma invenção, as independências têm ainda assim vez e legitimidade!!
Sou apoiante da ideia da Catalunha independente, mas não concordo com tudo o que Carles Puigdemont e o seu partido enquanto poder fizeram. Provavelmente eles têm feito o melhor que podem. Não percebo que ilusões levaram Puigdemont até Bruxelas!!

Ver Também:

Puigdemont em liberdade condicional

Puigdemont e quatro ex-conselheiros sob custódia

Catalunha. Sondagem dá vitória a pró-independentistas mas sem maioria

Justiça belga dá pressa à detenção de Puigdemont

Espanha: Movimentos Separatistas (Catalunha)

Catalunha: Justiça marca datas para ouvir Puigdemont e aplica-lhe fiança milionária

Catalunha, a liberdade não é um posto

Deputados catalães aprovam declaração unilateral da independência

A map of Europe’s separatist movements

Constituição espanhola de 1978

História da Catalunha. Relato de uma submissão indesejada

Há 800 anos, a Catalunha era parte de Espanha?

Rei de Espanha fala em “deslealdade inadmissível” na Catalunha