Leituras: Dez peões em jogo

And_Then_There_Were_None_First_Edition_Cover_1939Agatha Christie escreveu muitos romances policiais mas este é considerado um dos mais famosos e é fácil perceber porquê.
A história passa-se numa ilha deserta, situada na costa de Devon. Ela é narrada em terceira pessoa e descreve a vivência de dez estranhos (entre si) que foram atraídos para a mansão da ilha por um misterioso homem e sua esposa que têm as mesmas iniciais: U. N. Owen.
Em todos os quartos existe este poema, na realidade uma versão de uma canção popular do Reino Unido:

«Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove;
Um deles se engasgou, e então ficaram nove.
Nove negrinhos sem dormir: não é biscoito!
Um deles cai no sono, então ficaram oito;
Oito negrinhos vão a Devon em charrete;
897015055_1_644x461_livro-matar-fcil-convite-para-a-morte-agatha-christie-oeiras
Um deles quis ficar, então ficaram sete.
Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles se corta, então ficaram seis;
Seis negrinhos de uma colmeia fazem brinco;
A abelha picou um, e então ficaram cinco,
Cinco negrinhos vão ao fórum, a tomar os ares;
Um deles foi julgado, então ficaram dois pares.
Quatro negrinhos vão ao mar; a um tragou de vez
O arenque defumado, e então ficaram três.
Três negrinhos passeando no zoológico. E depois?
O urso abraçou um, e então ficaram dois.
Dois negrinhos brincando no sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então ficou só um.
Um negrinho está sozinho, é só um;
Ele se enforcou, e não sobrará nenhum.»

Este poema é extremamente racista, note-se.
A partir dele a autora criou um enredo surpreendente, do início ao fim.
Quando chegam à ilha, os dez estranhos parecem todos pessoas de bem. Mas, à medida que o tempo passa e as mortes se sucedem, eles vão despindo a aura de civilização que trouxeram consigo e se tornando mais grosseiros e ao mesmo tempo mais verdadeiros. No fundo, todos os que receberam este convite são pessoas más com um passado mal resolvido.
As-Dez-Figuras-Negras
Os dez acabam por morrer, e quando lemos pensamos que todos foram assassinados. Mas e se o assassínio for um deles? O mistério do assassino só é revelado no final, por uma confissão do próprio antes do suicídio.
Questões que o livro coloca: Quem tem o direito de decidir o que é a justiça? E quem deve decidir que o castigo serve para cada crime? A justiça a todo o custo não será ideia de alguém com perturbações mentais?
O seu título original era “Ten Little Niggers” mas para os Estados Unidos, para não haver melindres por causa do racismo implícito, foi editado sob o título “And Then There Were None”. Em Portugal pode ser encontrado sob o título “Convite para a morte” ou, numa edição mais recente, “As dez figuras negras”. No Brasil também pode ser encontrado sob o título “O Caso dos Dez Negrinhos” ou “E Não Sobrou Nenhum”.
and-then-there-was-none-2

Anúncios

Notas (de uma portuguesa) de visita em Lisboa (Setembro de 2017)

Lisboa-Praca_Duque_Saldanha-n12
1. Lisboa está melhor em termos urbanos. Mais passeios!
2. O executivo camarário de Fernando Medina (PS) pensou a cidade para os turistas, não para os residentes. Por isso aquilo que me causa alegria quando passeio por Lisboa causa problemas a quem cá vive.
3. Se os residentes não foram tidos em consideração, muito menos terão sido as pessoas que vivem noutros municípios mas trabalham em Lisboa. Aparentemente não há politico que pense nestas pessoas. Para que servem as comunidades intermunicipais?
4. Parece que Fernando Medina pediu às famílias para tentarem ter apenas um carro. A ideia é muito boa, mas parece-me que foi planeada fechado num gabinete, com pouco contacto com a vida real. Que motivações as pessoas têm para deixarem de usar carro? Os transportes públicos são caros. As pessoas precisam de fazer compras e as lojas são longe. Isso entre outros aspectos que não foram tidos em consideração.
5. Gostei da nova face da Biblioteca Municipal das Galveias.
6. Lisboa está-se a tornar cada vez mais cara para os portugueses. As três coisas mais caras:
a) Alojamento
b) Transportes
c) Comida: Comer em restaurantes ou pastelarias é muito caro. Mas também fica caro ir ao supermercado.
7. De acordo com os cartazes expostos, todos se candidatam ao governo de Portugal. Ou isso ou descentralizar muitas responsabilidades do governo para os municípios não é boa ideia.
img_817x460$2016_06_09_15_35_18_287577

Sobre o fenómeno Maria Vieira

verdades

 

Eles não sabem nem sonham,

O que é que se cozinha nos bastidores,

Antes de um post da Maria Vieira aparecer!

Eles não sabem nem querem saber

Porque tudo o que a Maria Vieira diz

É considerado assunto principal

Em qualquer ocasião

Eles não sabem nem querem perceber

Porque a Maria Vieira publica um livro

Cheio de insultos

E é a estrela da televisão

E tanto escritor bom

Não tem dinheiro

Para cinco minutos de publicitação!

Eles não sabem e gostavam de saber

E eles têm vergonha de viver

Num país que promove a Maria Vieira

Como a estrela das redes sociais

E omite as ideias de gente mais sensata

E avisada!

Eles não sabem nem sonham,

O que é que se cozinha nos bastidores,

Das palavras da Maria Vieira!

as-9696

Poema escrito depois da ameaça de encerramento da revista Visão ser notícia

they-live-06

Queria ter outra visão

Por isso comprava a revista Visão

Era uma revista que me punha a pensar

Era uma revista que me desafiava

Depois veio a remodelação

Depois veio a nova imagem

E a revista passou a parecer-se

Com um suplemento da Caras e da Activa

E menos com o Courrier Internacional

E eu como não gosto de maras,

Deixei de comprar!

Era a minha revista preferida,

Com artigos que não se encontravam

Em lado nenhum!

Sínteses semanais

Opiniões portuguesas uteis,

Opiniões estrangeiras interessantes,

Sem artigos roubados à Time!

Mas eles queriam inovar,

Mas eles queriam mais lucros,

E estragaram a minha revista favorita!

Parece que as inovações

Lhe trouxeram mais uns milhões

De vendas!

(Eu não comprei!)

Mas que a divida é tão grande

Que nem com inovações

Será suficiente: o império tem de cair,

Para os chacais sobreviverem!

 

Para saber mais: VISÃO aumenta liderança face à concorrência (notícia da revista de 30-08-2017); Balsemão: 80 anos, um império em risco e um Marcelo no sapato (resumo de uma biografia do proprietário da Visão).